31 dezembro 2008

Feliz Ano Novo

Apesar do anunciado Cabo das Tormentas, que vai ser o próximo ano e em que acredito verdadeiramente (e infelizmente) que assim seja, desejo para mim, para os meus e para vocês muita força, muita saude, muita vontade de ultrapassar tudo e todos e; alegria, felicidade, sucessos, e todos os projectos (bem) realizados.
BOM ANO NOVO 2009

E ganhar o dia

É quando o mais pequenito me diz, enquanto lhe dou a sopa
-Mãezinha querida, gosto muito de ti!

Minha menina máilinda!

Hoje em casa vesti uma camisola antiga. Comprada à pressa, 20 minutos antes de ir dar uma aula. A que tinha vestida sujei-a de gelado. Lembro-me agora que eu estava grávida do JH, e entrei apressada numa loja qualquer, perto do Centro onde dou aulas. Foi escolhida à pressão. Era engraçadinha e tapava a barriga toda (pessoalmente nunca achei muita piada a grávidas com a barriga à mostra, principalmnete se vamos enfrentar uma turma de 18 candidatos a topógrafos...) E lá vim eu conformada mas não convencida, de tal forma qua hoje em dia quase só a visto quando estou assim, como hoje, por casa. Há pouco, a minha Maria diz-me:
- Estás muito linda mamã, assim com essa camisola e o cabelo assim apanhado (para mim, completamente desalinhado...).
E de repente, inevitavelmente sinto a transformação...De Gata Borralheira a Princesa, e a minha filha foi a Fada Madrinha!

Desconsolo...

E quando passamos o dia inteiro em casa, a trabalhar claro, em frente ao computador, a corrigir testes, preencher grelhas de avaliação, lançar notas, enviar mails, e nos entretantos vamos carregando o fogão de lenha, para que o lume não se apague e o quentinho se mantenha. Depois de despachar tudo no computador, toca a ir dar uma arrumação à casa; organizar roupas, arrumar loiça e chega a hora de ir buscar os meninos ao infantário. Hoje o papá pode e vai buscá-los. E de repente olho para o relógio, e está na hora... de EU sair de casa (que quentinha está) e ir dar uma aula até às 22h30m. ARGH!!!!

Estavam guardados...

no meu caderninho, na mesinha de cabeceira... E como o ano está a terminar, tenho passado os ultimos dias a terminar coisas que andavam pendentes à tanto tempo. Desejo iniciar o novo ano como se tivesse feito um Reset. Começar com o registo limpo e sem rabos de fora, por isso é hora de passar para aqui o que escrevo no meu livrinho quando tenho preguiça de vir ligar este meu amiguinho!

10 dezembro 2008

Já nasceu!

O meu sobrinho!!!
De 36 semanas, e cesariana, mas diz a minha irmã, que correu tudo bem e que é lindo!

Maldito oceano atlântico!

09 dezembro 2008

Desactualizada

em falta e com tanto para contar. Tantas coisas boas têm enchido o meu coração nestas ultimas semanas. Bem... nem tudo são rosas, mas teimo em lembrar apenas as coisas boas.

Ontem à noite, já na cama, deu-me a espertina, e à uma da manhã resolvi aproveitar a falta de sono para por a escrita em dia, mas a preguiça não me deixou ir até ao computador, de maneira que o fiz no meu caderninho que guardo na mesinha de cabeceira. Amanhã (ou tavez não... assim que tiver tempo) passo para aqui os ditos escritos.

Estou fora de casa desde as 7 e meia da manhã. Só vou chegar lá para as 23h00. Tenho tantas saudades dos meus meninos...

12 novembro 2008

Mais um ano querida mamã

Da minha mãe já aqui falei. Do quanto gosto dela, do orgulho que sinto por ser sua filha, das saudades que vão aparecendo todos os dias, da admiração que tenho por ela, e de como gostaria de estar mais próxima. Hoje completa mais um ano de vida, e por isso, deixo-lhe este mimo, que eu sei que ela tanto gosta.
Feliz aniversário mamã. Amo-te!


09 novembro 2008

E então é isto...

Ando eu a semana toda a portar-me bem, a ter juizo e contenção, para depois no domingo ao almoço, me empanturrar até mais não com uma bela feijoada de leitão...
Mas que estava óptima, lá isso estava;)

06 novembro 2008

Não sei não...

A educadora da Maria, enviou-me um bilhete que dizia o seguinte:

"Informo que apenas à sexta feira é permitido qua as crianças tragam brinquedos para a sala. Queremos que este dia (do brinquedo), tenha como objectivo a aprendizagem do saber partilhar. Assim, fora deste dia recomendo que não deixe o seu educando trazer brinquedos, nem mesmo deixando-os estar na mochila uma vez que aí são constantemente fonte de conflitos. As crianças deste grupo já conhecem as regras e também o resultado de não as cumprirem. "

Curiosamente não gostei muto desta ultima frase. Não percebi muito bem o que ela quer dizer com isto, só sei que não me agrada. Acho que lhe vou perguntar!

05 novembro 2008

A minha agenda

Quando era adolescente, sonhava em ter uma vida atribulada, ocupada, e uma agenda sempre preenchida. Foi no Natal de 1993, que a minha melhor amiga me ofereceu uma daquelas agendas todas giras, com argolas e separadores, e divisórias para os cartões, o famoso "Filofax". Lembro-me que naquela altura fiquei radiante e tudo anotava no dito Filofax. Até os numeros de telefone e as datas de aniversário, que estavam mais que memorizadas na minha cabeça, mas tudo servia para encher as (muitas) folhas, e não fosse algum dia dar-me uma amnésia bruta daquelas de esquecer até o meu próprio nome. E aquilo tinha uma grossura brutal, e um peso na minha mala, que até desconfio que foi aí que começaram as minhas dores de costas.

De lá para cá, curiosamente cada vez procuro mais agendas o mais fino possível, o mais leves possível, mas desgraçadamente, agora que anseio por ter as folhas mais desimpedidas, é tarefa impossivel. Aliado ao meu horário carregado (e graçasadeus que o dinheiro não cai do céu) dou por mim a ter que escrever as tarefas mais básicas como mandar a carta X para Y, telefonar para tal parte para marcar qualquer coisa, ou até para anotar o que as educadoras dos meninos pedem para levar no dia seguinte. É que de outra forma, sem o fazer, passa-me completamente ao lado. Lá está... A teoria da amnésia está prestes a concretizar-se. E agora, em vez de folhas a mais, falta-me espaço para escrever tudo o que preciso.

De repente ocorre-me que a próxima coisa a fazer é anotar na minha agenda 2008: "Comprar agenda para o próximo ano!"

Thanks God, The man Won!



E o Homem acabou por Ganhar!

03 novembro 2008

O tempo, o tempo, o tempo....

não chega, quem dera...
A ultima semana foi de loucos. Parecia que havia uma conspiração divina que me impedia de resolver alguns problemas que necessitavam de um fim urgente. E há gente que parece que vive para complicar a vida aos outros. Mas felizmente, a contrapor essas pessoas, também as há que não esquecem os amigos e quando mesmo precisamos lá estão! Não querem relatórios, não querem explicações, são simples e objectivos e tudo fazem para ajudar no que podem. E depois felizmente também temos a sorte de encontrar pessoas em certos locais e certas repartições que têm um lado muito humano e sentem as coisas como nós. A estas pessoas e a estes amigos só posso dizer que nunca esqueço, aos outros, que complicam e têem prazer nisso, só posso dizer que ESQUEÇO que existem!

E nos entretantos, quando as coisas pareciam não querer resolver-se ainda fui brindada com uma multa por excesso de velocidade, paga na hora! Quem me manda a mim, conduzir furiosa, e em vez de atirar uma cadeira às fuças de quem me chateia, não colabora e é arrogante, ir acelerar para a rua?

Mas bem, as coisas lá se resolveram, e como recompensa, tivémos um fim de semana cheio surpresas e visitas tão boas... Sábado e Domingo foi uma casa cheia. E como eu gosto de ter a casa cheia...Miudos e graudos, graudos e miudos, e como eles se entenderam bem... E eu fiquei encantada de poder estar com amigos com quem não estava há tanto tempo, e de quem já tinha saudades de estar, assim, nas calmas, a conversar, a por "a escrita em dia":)

Obrigada meus amigos pela vossa visita. Adorei, e temos que repetir mais vezes!!!

23 outubro 2008

A Piscina

Ambos a frequentam desde os 8 meses de idade.

A Maria nunca foi muito destemida no que toca a água. Sempre perto de mim, à vontade mas sempre com um certo receio. Fazia tudo o que o professor pedia, excepto uma coisa... Mergulhos! Tudo o que envolvesse enfiar a cara debaixo de água não era com ela, e por isso quase nunca fazia correctamente esses exercícios. A partir do ano passado, começou a ir sozinha para a água. Apesar de não fazer os 4 anos antes de Dezembro, o professor achou bem aceitá-la naquela turma, uma vez que ela frequentava desde bebé. E correu bem! Passou a sentir-se mais crescida, e a ter mais confiança nela. No final do ano passado, por causa de um maldito "molusco contagioso" não pode frequentar as aulas até ao fim, e por causa disso chorava baba e ranho porque não podia ir para a água. Por causa disto deixei de levar também o João, pois como tinha que a levar comigo, quando o irmão tinha aulas, achei que era muito cruel, eu e o irmão dentro de água, e ela sentada numa cadeira, com as lágrimas a escorrerem pela carinha abaixo. Aconteceu uma vez só e não fomos mais.
Este ano um mês antes do início das aulas, andava sempre a perguntar quando começavam as aulas de natação, e no primeiro dia foi uma excitação enorme.

O João, nunca teve muito entusiasmo pela água. Começou a ir comigo, fazia tudo, mas também recusando sempre os mergulhos. No ano passado, em consequência de uma data de viroses seguidas, esteve quase 3 meses sem frequentar as aulas (de Outubro a finais de Dezembro). Quando regressou, simplesmente se recusava a sair do meu colo.Não fazia nada do que o professor mandava, colocar as braçadeiras era complicadíssimo, e deixá-lo sozinho era impensável. Agarrava-se aos meus braços com tamanha força que eu chegava a ficar com marcas. Nunca chorou nem se recusava a entrar na piscina, apenas eu não podia largá-lo um segundo.

Este ano, devido à proximidade de horário das aulas deles, a Maria faz a aula dela e o professor autoriza a que ela fique na água mais uma aula, que é a aula do irmão. Enquanto eu faço a aula com o irmão, ela anda lá entretida, com as braçadeiras a brincar, e ontem foi espectacular. Não sei se por estarem juntos, e quererem fazer melhor, se por outra razão qualquer, terminaram as aulas com uma série de mergulhos como eu nunca vi. Não sei se no próximo dia o farão da mesma maneira mas o que eu sei é que ontem, passaram os ultimos dez minutos a mergulhar. A enfiar a cabeça debaixo de água, um e outro. Sem medos, sem receios, e divertidíssimos, alegres felizes e a rir muito. Fiquei tão contente de os ver assim. Para mim foi uma grande conquista a deles. A de já conseguirem mergulhar, e por isso saí de lá muito feliz, e cheia de orgulho dos meus meninos!

Fim de semana

Atrasada no tema, mas cá vai. Como diz o outro, "Vale mais tarde que nunca". No sábado passado, fomos todos ao Teatro. Fomos ver "Alice no País das Maravilhas" no Rivoli, e os miudos deliraram. Como sempre, a Maria responde a tudo o que os actores perguntam, em alto e bom som, ou seja, põe tudo a olhar para ela... O João, prega os olhos no palco e não desvia nem por nada. Não quer perder nem um bocadinho.
Eu pessoalmente gostei muito de tudo, menos no volume. Posso ser eu que não percebo nada das artes do espectáculo, mas acho sempre que o volume está demasiado alto para as crianças... Mas enfim, admito estar enganada, e haver um outro motivo qualquer para este facto, que ainda não me tenha ocorrido...
Depois do teatro fomos visitar uma amiga minha de infância, e os miudos entenderam-se às mil maravilhas. Quer dizer, houve um ou outro momento de tensão na disputa do mesmo brinquedo, mas tudo se resolveu sem grandes brigarias, ou birras. Os nossos meninos são um espectáculo:)
O domingo foi como todos os outros dias felizes que estamos juntos, sem trabalho, e escola, e temos o tempo todo para nós.

16 outubro 2008

Ai, ai!

Depois disto, e depois de mais uma visita, sem resposta nem retorno, começo a ficar chateadita. Ai começo começo!

Taditas delas...

... das que não têm a vida que sonharam e invejam a vida de tudo e todos (incluindo as do círculo de amigos mais próximos)
... das que se recorrem do único argumento que têm; a ignorância para se justificarem
... das que à falta de argumentos que as justifique, recorrem apenas à falta de educação
...das que antes que alguém lhes diga algo simpático, atacam logo com narrativas da vida desgraçada, sem ajudas e horários que têm
... das que não sabem dar valor às riquezas que têm
... das que não sabem sorrir. Apenas sorrir...

14 outubro 2008

7 Anos

13 Outubro 2001
Há 7 anos que casámos, que dissémos sim um ao outro, acompanhados das nossas famílias, e dos nossos amigos. Lembro-me tão bem deste dia! De como preparámos tudo, só os dois. De cada pormenor, de cada detalhe, dos convites, das lembranças, ambos feitos por nós mesmos... O carinho, a dedicação em todos os assuntos com ele relacionados. Lembro-me da noite anterior, a beber champanhe até às 4 da manhã, a minha irmã e o meu cunhado também lá estavam. Lembro-me de a seguir ao champanhe andar a matar melgas com a Andreia até quase às 6... Lembro-me de me levantar às 8 e meia, de irmos todas para o cabeleireiro, e até parece que me estou a ver a percorrer meio shopping, de calças de ganga, camisa, e véu de noiva na cabeça:) Isto claro, depois de penteada e maquilhada.

Depois as fotos em casa, as benditas fotos, o jogo do gato e do rato para que não nos encontrássemos na mesma casa, antes da cerimónia, quando na verdade o que eu mais queria era que me visses ali logo, quando o que eu mais queria era abraçar-te naquele momento!

Depois a igreja, o atraso do meu pai que foi largar o carro longe, e eu à espera dele à porta da igreja. O padre que trocou os nomes, o sacristão que se enganou, o padre que olhou de soslaio e encolheu os ombros, e o ataque imediato de riso que nos deu a seguir, e quando eu pensava que a coisa já estava controlada, estava o coro todo quase deitado de tanto rir com o Sr. Mendonça...

Depois a foto de grupo (não tivémos paciência nenhuma para as fotos da tia, do tio, do padrinho, da madrinha...) no fim da cerimónia à porta da igreja... A chegada ao restaurante, a festa, a fotógrafa que queria ir embora e não deixámos. Ainda bem, pois afinal ela só precisava de ir amamentar a filha de 2 anos! Ficou decidido. Que venha a filha e fica a mãe. Aproveita e tira só mais umas fotos. A Ana , que veio de longe, perdeu-se, mas lá se encontrou e chegou quase no fim da festa, mas o importante foi ter chegado... O Humberto que se atirou à piscina completamente vestido, e tantas outras coisas boas que hoje revi e vivi no nosso álbum de fotografias.

Assim como as pessoas que lá estão no nosso álbum. Algumas ainda estão connosco, outras já partiram, umas ainda continuam juntas, outras já seguiram caminhos opostos...

Quanto a ti meu amor, só posso dizer o tão feliz que fui nestes últimos não 7, mas 11 anos que já estamos juntos. Cada dia que passa, tenho mais certeza do quanto te amo, do quanto me fazes bem. Como homem, amante, amigo e, companheiro. Adoro a tua maneira de ser, de estar na vida, como encaras os problemas que surgem, e os resolves. E amo ouvir-te rir, ver-te sorrir! E amo-te ainda mais por seres tão bom pai, e tratares tão bem dos nossos meninos, quando estamos ou não juntos. É tão lindo ver como os teus olhos têm um brilho tão especial, tão terno, de cada vez que olhas para eles. Concluindo... És um pai do mais babado que há!:) E eu tenho muito orgulho em ti.

Hoje estás muito longe. É o primeiro aniversário que passamos juntos, e não imaginas como senti a tua falta aqui hoje. Ontem, amanhã, e depois e depois, também vou sentir, mas hoje foi diferente. Hoje queria mesmo ter-te aqui!


Para ti

08 outubro 2008

Sonho meu

Gostava, mas gostava mesmo, que o teletransporte fosse uma realidade dos dias de hoje... Que bem que calhava a quem trabalha a 100 Km de casa...

Dos miudos...

Depois dos piolhos ( e das benditas desinfestações, mais os lençois para lavar, mais as toalhas para lavar, mais isto tudo para passar a ferro de quatro em quatro dias), depois dela ter feito xixi na cama duas vezes a noite passa ( na cama dela e na nossa, mais os lençois para lavar e passar...) veio uma conjuntivite! Boa!

Para começar em grande

Primeiro dia de aulas. Vinte alunos, duas horas numa sala minuscula, e no fim da aula, já ficaram dois de castigo, com direito a sermão e missa cantada. Tá bem tá!

06 outubro 2008

APELO!!!

Ó meu(inha) querido(a) "Morango e Cereja" que tanto nos acompanhas, e até constamos na lista de liks, manda lá um convitezito para podermos conhecer o outro lado também faxavor sim? Brigadinha

Instrumental

Não costumo gostar muito de temas apenas instrumentais, mas arrepiava-me de cada vez que ouvia este. Há muito tempo que não o ouvia, e hoje arrepiei-me de novo.

O meu trabalho

afinal de contas sempre saíu. Felizmente; para mim, que dá-me uma agonia ficar em casa, e para as nossas finanças, que as despesas são certas. A partir desta semana voltam os dias de aulas em grande, e aquilo que mais gosto de fazer; ensinar. Pena é que algumas vezes o trabalho não seja reconhecido, e achem sempre que estamos a fazer tudo errado, sem a mínima noção do esforço que envolve dar aulas. Mas enfim... há alunos que pensam que apenas faz falta aparecer e não estudar.

Agora falta só coordenar muito bem os horários, os meus, os deles, e os do papá. Valha-nos os avós que quando é preciso dão uma mãozinha. Por falar nisto, nem quero pensar como vai ser a próxima semana. Ainda faltam 8 dias e já estou cheia de saudades, só de pensar... 5 dias papá? E no aniversário de casamento? Ai, ai...

Comovo-me

... sempre que canta esta musica...

http://www.youtube.com/watch?v=Jw6TnHYUkPg

22 setembro 2008

Não se faz...

Dizerem-me que precisam de mim, para trabalhar a partir de 1 Outubro, (e como eu preciso deste trabalho), e passados alguns dias que afinal só a partir de Janeiro, e metade do que era suposto. Tou muito contentinha, tou, tou:(

21 setembro 2008

5 Anos

Faz hoje 5 anos que acordei com um telefonema. Eram 9 horas da manhã, e era para me informar de que o meu pai tinha partido. Foi-se com a chegada do Outono, e desde aí, de cada vez que vejo as folhas das árvores a ficar cada vez mais castanhas e a cair, lembro-me deste dia. Deste triste dia... Neste dia acabou o sofrimento, o dele (sobretudo o dele) e o nosso. E acabou também a impotência de uma luta perdida à partida, onde apenas se tentou que a qualidade de vida fosse a melhor possível, e apesar de a fase de maior sofrimento ter demorado a chegar, ela veio, e foi curta. Não demorou nada... Assim como o tempo, apesar de já terem passado 5 anos, parece que às vezes ainda oiço a voz dele a chamar-me, o oiço tossir, rir... Diz-se que o tempo tudo cura, talvez... Quem sabe algum dia sinto isso. Para já só consigo sentir saudade, muita saudade, e pena... pena de saber que nunca vou ver o meu filho a brincar com os carrinhos, ou a jogar à bola com aquele avô, que tanto ansiava um neto, nem ver a minha filha a brincar com aquele avô, como ele brincou comigo...
Vou amar-te sempre papá!

20 setembro 2008

Boas Surpresas

São aquelas em que os amigos aparecem à última da hora, e ainda trazem marmelada e doce de figo acabadinho de fazer. Obrigada, foi maravilhoso.

E então é assim...

... A minha mãe no México, a minha irmã em Nova York, e a melhor amiga em Milão. E eu? Quando saio da parvónia? :D

19 setembro 2008

O Regresso


O início de um novo ano lectivo e o regresso à escola não foi lá muito pacífico. Da parte do João correram lindamente os dias em que voltou para o ambiente, os amigos e a educadora dele. Bem disposto, sem birras, sem choro, sem nada. Apenas um abraço, um beijo, e toma lá a chupeta que aqui não preciso dela! Até ao dia em que, por razões profissionais minhas e do I. tiveram que ser os avós a levá-los à escola. Dizem-me depois que ficou a chorar um bocadinho... Quando vou novamente levá-lo, sou informada pela educadora que fica alterado, e nem o almoço corre tão bem. Ele que é o menino que não dá absolutamente trabalho nenhum à hora da refeição pois come bem, tudo e sozinho! Quem dera que fossem todos como ele, dizem-me elas. Mas não nos dias em que são os avós a levá-lo. A sensação de que vai deixar o avô e tudo o que quer fazer, sem ninguém o impedir, deixam-no assim... sem vontade de ficar na escola.


A Maria, foi muito bem os primeiros dois dias. Depois, ainda em casa começava a choradeira, que não queria ir para a escola, que queria ficar comigo, que ia sentir muitas saudades minhas e do pai, que não, que não, que não... Depois lá entrava no carro sempre com os olhos razos de água, e repetindo sempre: "Mamã, és tão linda. Vou sentir tantas saudades... O tempo custa tanto a passar..." Cortavam o meu coração estas palavras, no entanto sabia que não devia vacilar, que não podia voltar com ela para casa... Se há dias que poderia ficar com ela, há também os outros que não, não posso ficar com ela, e não pode deixar de acompanhar o ritmo do infantário... E vieram então os tais dias, que foram os avós a levá-los. A partir daí não havia menina. Além de não ficar a chora, portava-se lindamente todo o dia.


Enfim, as diferenças entre eles existem e cada um reage de maneira diferente às mesmas situações... Como se costuma dizer; "Temos cinco dedos em cada mão e nenhum é igual ao outro...

14 setembro 2008

Adeus Verão


E foi assim o nosso Adeus ao Verão. Novamente o encontro, as conversas, as brincadeiras, e os rituais do costume. Foi bom, muito bom.

12 setembro 2008

Ainda das férias

Porque as imagens falam mais que mil palavras... Amizade, cumplicidade, brincadeira, maluqueira, ternura, birras, brigas, guerra, paz...enfim, de tudo um pouco como convém.

...

Sem saber que título dar à coisa escrevo. Escrevo o que não quero escrever. Que os dias estão cada vez mais pequenos, que os fins de dia são cada vez mais frios, que a minha filha ainda chora quando a deixo no infantário, enquanto me diz, com lágrimas gordas a escorrer pelas faces abaixo, que gosta muito de mim e do pai e vai ter muitas saudades, que as férias já acabaram, e que o dinheiro também vai acabando cada vez mais cedo... Enquanto isso, os dias passam, o tempo passa, sempre a somar datas, sem que pare e volte atrás.


Amanhã mais uma "cerimónia" do encerramento do Verão. Parece que ainda ontem foi a "abertura". Ainda ontem nos juntámos todos, alegres, amigos, felizes, e do pretexto do início do Verão tomámos belas banhocas de piscina, comemos todos juntos (depois de alimentadas as crianças:) ) sem deixar de brincar, partilhámos as sobremesas feitas por todos, e até revemos amigos que decidiram rumar para lá do mar, e que tudo fizeram para regressar para o dia do encontro. Estes dias que hão-de ficar para sempre registados nas nossas memórias e no nosso Livro de Actas que religiosamente, todos os anos passa de mão para os organizadores do próximo encontro. E como regista estes nossos dias... Está lá tudo, e para que não haja dúvida que todos foram, a assinatura de cada um é feita no final da leitura da Acta. Miudos e graúdos, assinaturas e gatafunhos... E como demora a leitura da Acta:) A ver se começamos a colocar lá uma foto de todo o grupo... E já passaram practicamente dois meses. DOIS MESES!



O ciclo começa novamente, a sério, a doer e com a certeza de que muito ainda vai acontecer até ao próximo ano, mas cada vez mais me parece, que o tempo passa a correr.

05 setembro 2008

A Prova

de que realmente as férias acabaram cá está!!! São 2h45m e acabei de enfraquecer um monstro que habita a minha lavandaria. Eu e o ferro de engomar...

29 agosto 2008

Era bom era...

... que não acabassem... As férias, tão maravilhosas, com tantos amigos, tantos dias de praia, tantas noites bem passadas, as festas, os banhos de repuxo, os almoços e os jantares, o futebol, e o jogo da toalha, os banhos em conjunto da criançada toda... enfim...

Agora só sei que daqui a dois dias tudo volta à rotina normal. Para o papá já assim é desde segunda feira, mas para mim, a partir de segunda feira é que é! Meninos para o infantário, e toca a bulir!

Até lá, deixem-me aproveitar ao máximo este fim de semana, tá bem?

31 julho 2008

Última hora

Depois de uma manhã na molenguice, a ver desenhos animados na nossa cama, enquanto eu andava aqui às voltas com os relatórios à frente, e o mais pequeno aos pés, levantou-se, vestiu-se, lavou-se, penteou-se e ainda me fez a cama. Minha rica filha de 4 aninhos...

Gente nova!

Tudo indica que é menino! Vou ter um sobrinho!

Chegaram as férias

Hoje é o primeiro dia de férias dos meus meninos. Durante o próximo mês, não há acordar cedo para ir para a escola (mas sim para ir para a praia...), não há mochila a preparar para levar para a escola (mas sim, para levar para a praia...),não há sestas nos colchões da escola (mas sim, nas caminhas cá em casa...). Enfim, as rotinas não se alteram muito, apenas os espaços físicos onde elas acontecem. Além disso, vamos tentar fazer o que lhes temos vindo, não a prometer, mas a sugerir...Tenho a certeza que iremos passar bons dias e bons momentos.

Entretanto, eu ainda tenho relatórios para avaliar, notas a lançar, uma oral para a semana, uma reunião hoje à tarde, e o papá, ainda trabalha até segunda feira. Valha-me ao menos os avós que terão que tomar conta deles até nos dois podermos dizer claramente: FÉRIAS!

25 julho 2008

Bom fim de semana

Evoluções...

Hoje de manhã o João fez o primeiro cocó no bacio, cá em casa... A ver vamos se o rapaz se habitua depressa e o desfralde é rápido...

Que grande moca!

Anteontem, quando cheguei a casa, depois de ter ido buscar os meus meninos ao infantário, fui atacada por vespas. Isto porque sem eu me aperceber, fizeram um ninho no meu portão, e ao fechá-lo (com o João ao colo), elas sentiram-se incomodadas e não estiveram com cerimónias; há que picar esta fulana que nos está a ameaçar. As dores que senti ao ser picada quase não foram nada, comparado com a minha preocupação de que o João não fosse atingido, e desatei a fugir o mais rápido que pude. Depois de deixar o menino fechado em casa, voltei ao portão, armada com uma embalagem de spray insecticida e só matei 13 vespas...

Ontem de manhã reparei que o braço onde tinha sido piacada estava todo vermelho, pelo que achei melhor passar na farmácia para comprar qualquer coisa que me aliviasse aquilo. Lá me deram um anti-histamínico, com a recomendação de tomar logo um imediatamente, e outro à noite, e a partir daí, tomar um por dia mas sempre à noite...

Pois então lá fiz o recomendado só que à noite...se eu tomasse outro, era mesmo para ficar dois dias a dormir. Tinha prometido à educadora do meu filho que hoje levava um bolo para o lanchinho deles, só que não consegui... tinha tanto sono, tanto sono, tanto sono, que adormeci, sentada no chão à cabeceira da cama da minha filha, enquanto lhe contava uma história para ela adormecer... e quando acordei, passado quase uma hora depois, ela já dormia, mas tenho a certeza que devo ter adormecido primeiro que ela...

Logo à noite... a ver vamos se tomo outro...

Não há como a sinceridade das crianças...

...pois nos últimos tempos, temos tido algum contacto com amigas grávidas, e talvez por isso o meu filho pense, que isso se pega... Então hoje de manhã, enquanto o vestia, debruçada sobre ele, pôs as mãozitas na minha barrig(on)a e disse:
- Mamã, bebé?
Ao que a minha rica filha sempre atenta e simpática responde:
-Não é nada bebé, é só a mamã que está gorda!
Um tesouro esta minha princesa...

24 julho 2008

Já cá está!

O pintainho Sebastião!
É claro que no meio das manas todas, vai ser um autêntico menino nas mãos da bruxas, mas concerteza muito feliz!
Aos papás e às Marias muitos parabéns! Adorei o sms, principalmente a parte do "somos cada vez mais felizes". Acredito que sim, e faço votos que assim continuem nessa vossa capoeira, onde amor, afecto, carinho e atenção nunca hão-de faltar!

17 julho 2008

Porque hoje me sinto feliz, e até me apetecia dançar!

Mudar...

Parece que o sol brilha outra vez para estes lados... Quando a coisa vai má e não parece haver alternativas... no fundo do túnel brilha uma luz muito forte. Quero acreditar que tudo vai melhorar.

À noite

Estão tão habituados a mim, que não dormem sem me ter por perto... A rotina existe. Embora já durmam toda a noite no quarto deles, ainda bebem o leite na nossa cama (se bem que a Maria prefira ficar logo na cama dela algumas vezes). Depois, a história, e às vezes ainda vem a cantiga.

A Maria, brinca com a fralda de pano, põem-se a jeito e adormece. O João, quer colo. Dá-me mimos, abraça-me e aninha-se nos meus braços, onde em cinco minutos, e sem precisar de grandes truques adormece. A seguir é só realizar a operação da "transfega" para o quarto do lado.

Hoje essa parte já está tratada e arrumada. Agora ainda vou ali bater um bolo, que vai cozer enquanto dou cabo de um monte de roupa engelhada que não quer desaparecer!

15 julho 2008

Diferenças

Hoje a minha filha teve a festinha de aniversário de uma amiguinha, organizada no Mc'Donalds, eu fui lá levá-la e fiquei por lá, uma vez que sou amiga da mãe da menina. O que observei decidi registar aqui:

- foi a única criança que pediu água como acompanhamento do Happy Meal
- foi a única criança que comeu tudo e mais dois douradinhos da vizinha do lado
- foi a última a sair da mesa para ir brincar para o escorrega
- foi das poucas que estiveram sentadas à mesa, sem ter os pés em cima do banco, e as mãos nos pés
- foi das poucas que deixaram os sapatos arrumadinhos nas prateleiras ao invés de os deixar espalhados no chão de corticite

Conclusão: Os sermões que lhe tenho pregado sobre arrumação e organização, pelo menos fora de casa estão a funcionar, e vou deixar de comprar sumos cá para casa. O resto está tratado, percebido e assimilado a 100%

Ui ui!

O amor anda no ar! Ai anda anda!

Adoro o Verão!

E tudo o de bom que nos proporciona! Claro que estes ultimos dias abrasadores, não são muito o meu género, mas sem dúvida que o Verão me anima, põe-me bem disposta, e com alto astral!

E os fins de tarde, que se arrastam até serem horas tardias, que nos tiram a vontade de ficar em casa, e muito menos ir dormir...

E os fins de semana, inesquecíveis, onde sempre estão presentes, os amigos, as reuniões, as gargalhadas... O que passou foi mais um exemplo, a juntar à colecção de recordações que para sempre hei-de guardar, de tão preciosas que as sinto...
Começou sexta feira com a chegada da grande amiga e da filhotinha linda! E os meus meninos ficaram doidos quando nos viram chegar às três ao infantário para os buscar.
No sábado foi o dia de mais um churrasco em casa do N. e da G. e, como sempre houve muita alegria, muita conversa, muitos banhos de piscina (voluntários e nem por isso...), muita comida, fotografias (sim, este ano tínhamos um paparazzi profissional),mousse de chocolate versão salmonela free (que esta má onda das intoxicações alimentares parece que me persegue, e já não arrisco. Invento novas receitas, e não sobrou nem um bocadinho), reencontros com bons amigos que vieram de propósito de Angola, e mais a pequenina que o pai foi buscar à Suiça, Pictinary, Cluedo, e afins (para os mais novos), e mais banhos de piscina, e mais conversas, e mais gargalhadas, e mais comida, e por fim... o registo, a leitura e, a assinatura de todos os presentes, da respectiva Acta, que irá testemunhar para sempre a amizade e a alegria que ali se viveu!
Finalmente no Domingo, o dia começou em beleza, com ida para a praia. Chegádos lá... vento! Mas não tem problema! Arma-se a barraca, entrincheiramo-nos e tá-se bem! Ok, aguentámos até cerca das 12h30 e depois comer um belo prego no prato como só o Augusto sabe servir... Depois café e nata na Atlântida que... tinha corrido muito bem, se esta nata não me tivesse parado a digestão e me fizesse passar o resto do dia a sentir-me miseravelmente. Mas valeu-me a companhia tão agradável ao jantar, que apenas consegui preparar (ok, o peixe foi o I. que grelhou e a A. também me ajudou), mas não consegui nem sequer meter à boca. Fiquei assim sentada à mesa de espectadora...

E depois a A. e a F. foram embora, e o P. foi embora, e eu... fui para a cama com o meu pequenino, e o pai tratou da pequenina. E na segunda ainda passei todo o dia agoniada! Pronto! Hoje já estou fina!

10 julho 2008

A pequena

...era assim que o meu avô falava quando queria falar de nós, as suas netas, e eu habituada à expressão, gosto de a usar, quando falo com os meus botões, acerca da "minha pequena".

A Maria cresce a cada dia que passa. Quer ser crescida, brinca aos pais e às mães, ela a mãe, o irmão o filho, o pai, no papel de pai e, eu passo a ser a tia! Depois já é professora, e manda e desmanda, sem que ninguém a contrarie. E no minuto seguinte já é outra vez a mãe, que manda o filho à loja:)

Quer ser crescida e quer mostrar-se crescida. Já não quer beber o leite na nossa cama, antes de dormir. Agora quer ir para a sua cama. Quer ficar no seu quarto. E eu, embora feliz com a evolução dela sinto a sua falta lá, no meio de nós, até adormecer...

A imaginação não pára! Brinca ao faz de conta como ninguém, e a inventar histórias está uma especialista. No outro dia, foram os avós buscá-la ao infantário. Parece que veio o caminho todo a pregar mentiras, a rir-se por conseguir enganar os avós que só descobriram, quando me contaram mais tarde a conversa dela, e descobriram que afinal, não tinhamos ido àquela loja, comprar nenhuma casa de banho...:)
E veste e despe, e torna a vestir e torna a despir e inventa mil combinações.

Enfim... é a minha pequena que cresce...

09 julho 2008

Calma...

Ai que por momentos vi a minha vidinha a andar para trás...

Passar toda a manhã a trabalhar, sair para o almoço, e quando regresso, o computador desligado... Ligo, abro o ficheiro pretendido e... nada... todo o trabalho perdido. Desânimo! Vou às propriedades certificar-me onde são guardados os ficheiros de recuperação automática. Não encontro o pasta... Configuro de modo a ver todos os ficheiros, incluindo pastas ocultas. Continua a não aparecer a pasta... PÂNICO! Ai agora que vou ter que fazer tudo de novo...Não!... vou ali comer uma fatia de bolo em frente á televisão e já volto...

Nova tentativa! Reiniciar esta máquina da qual depende quase toda a minha vida. Abrir o programa, e... lá está, os ficheiros recuperados automáticamente, e o que pretendo fazer com eles! Guardar pois tá claro...

Daqui em diante, não faço mais nada em caso de desespero, sem antes me sentar em frente ao televisor e comer uma fatiazinha de bolo, para recuperar a calma e conseguir pensar racionalmente!

Breve actualização

Pois que então o aviso fez-se em tom de advertencia na sexta feira à tarde, quando os fui buscar ao infantário. "Ai, olhe que não sei... hoje faltaram muitas crianças pois anda tudo a vomitar... miudos e graudos...". E bem dito bem feito! Até parecia praga, e o fim de semana foi bem diferente do que se previa... Mal eu sabia o que por aí vinha.

Sábado ainda deu para fazer uma prainha de manhã, mas a ventania que se fez notar por voltas das 11 da matina, impossibilitaram o regresso a seguir ao almoço. A tarde foi passada mais ou menos no relax, pois o pai também não estava muito católico. Vestígios de uma infecção alimentar, que o debilitou e chegou mesmo a levar para uma cama de hospital, uma amigo nosso, pelo mesmo motivo. À noite, ainda deu para "picar o ponto" na festinha do primogénito do
Pardal. Parabéns P.

Chegados a casa, estava tudo estourado. O João quase que adormeceu estendido no chão da sala, mas lá o consegui levar para o quarto, vestir pijama, dar o leite e por a dormir, sem grandes birras (que às vezes o sono dá-lhe para isso). A Maria, cinco estrelas, como costume. Passados alguns minutos tudo a dormir e eu a fazer Bolo de Macã, sozinha na cozinha. (ai vida social, a quanto obrigas... mas eu gosto, o que se há-de fazer...). Acabado o bolo ( e acabados os dois episódiso do CSI), por volta das 2 da manhã, vou dormir. Quatro e meia da manhã! A Maria no nosso quarto, que estava mal disposta e queria beber água. A miuda acredita mesmo que se beber água já não vomita! Toma lá um copinho de água... Queres um chá? Sim? A mamã vai fazer... Vou só ali e já venho...
Antes do chá ferver já tudo fervia na minha cama, nos meus lençóis, nas minhas almofadas, nas minhas fronhas e, no pijama dela! Correria corredor fora, e o pai já com ela no quarto de banho. Pelo menos aliviou! Depois toca a lavar a criança, toca a tirar os lençóis sujos, mais as fronhas e almofadas, toca a por os lençóis lavados, mais as fronhas outra vez!!! Ufa! E já eram quase 5 e meia da manhã. E enquanto eu mudava a cama, o pai dava-lhe o bendito chá na sala. Terminado o chá, lá quis voltar para a cama dela, e de 10 em 10 minutos, voltava ao nosso quarto, que queria outra vez água, que estava outra vez mal disposta... Ainda lhe dei água três vezes, mas depois enfiei-a na nossa cama e disse-lhe: "Vê lá mas é se dormes pois a dormir passa-te a má disposição" E já íamos nas 6 e meia da manhã. Finalmente conseguimos adormecer todos novamente até às 9 horas!

Domingo! De manhã ainda tivémos um episódio de vómito, mas... o resto do dia lá se passou sem mais sobressaltos... Lá fomos ao almoço marcado com os meus sogros e com os amigos deles, lá levei o meu Bolinho de Maçã, e no fim do convívio, todos para casa dormir... Foi um sono só, das cinco às sete! E que bem que soube! Claro que depois disto o jantar foi um pouco mais tarde, mas... Milagres dos milagres, lá foram os dois para a cama "cedo" tendo em conta a"sesta" tardia, e eu... quando me deitei só pensava: "Pronto, ontem foi a Maria e hoje vai ser o João. Vou já já adormecer, para quando ele acordar, eu já ter conseguido umas horitas de sono."
Mas o meu menino é um anjinho e dormiu sossegadinho até às 7 e meia da manhã!

04 julho 2008

Da festa...

...pois... já la vai uma semana... Muito sinceramente, não é coisa que me agrade muito. Aquela coisa de termos que ir lá e sorrir e ser simpaticos, e tal, mas... tenho a certeza de que seria uma falta de respeito para com as pessoas que tomam conta , acompanham, limpam o rabo, ensinam e se certificam de que os meus filhos comeram bem, todos os dias! Não sei até que ponto, a festa é organizada com gosto, amor, empenho e dedicação, ou se é organizada só porque é suposto haver uma festa no final do ano, mas pelo que observo todos os dias e pela forma de estar das educadoras dos meus filhos, acredito mais que ganhe a primeira versão. E por isso fiz questão de (podendo...) estar presente na dita cuja, e de que o I. também estaria presente. Não por mim, nem por ele, mas pelos meninos, que certamente ficariam muito mais felizes se nos tivessem lá aos dois.

E até gostei. Achei giríssima a ideia do jogo da caça ao tesouro, no Pinhal que é propriedade da escola. Achei o máximo, ver as famílias todas de mãos dadas (era regra do jogo) percorrer o espaço e espreitar atrás dos pinheiros, dos arbustos, dos baloiços, da casinha de madeira, e, da caixa de areia, à procura do baú do tesouro, do colar e das moedas. Já o jogo do "apanha o rabinho" não achei piada nenhuma, pois houve muito choro à conta disso, incluindo o meu pequeno príncipe, que assim que viu que alguém lhe tinha roubado a tirinha de tecido que trazia presa ás calças, destou num berreiro que ninguém o conseguia calar e explicar que era apenas um jogo. Queria porque queria de volta o seu rabinho ófaxavor!

Para terminar em beleza, seguiu-se o piquenique da praxe, com as iguarias levadas pelas mamãs e papás das crianças e cá por estes lados tinha corrido tudo muito bem, se a pizza que encomendei às 2 da tarde, tivesse pronta à hora marcada, mas... "Ena pá, que nunca mais me lembrei!" E pronto, muito satisfeita com a justificação, lá andei à pressa, a correr meia duzia de pastelarias, para no fim aparecer com uma caixa de pasteis folhados e uma mousse de chocolate (esta feita por mim). Sim porque ter um filho na valência de creche, e uma filha no jardim de infância, obriga.me a ter que levar um doce e um salgado!

03 julho 2008

Por aqui...

...continuamos só com um carro. Pode ser que a oficina libere o outro ainda hoje. Ontem fomos os dois (não, que eu não consigo passar mais de um dia inteiro em casa sem carro) levar os meninos ao infantário, o que os deixou felicíssimos. Depois passei o resto do dia, entre os afazeres domésticos e reuniões com os meus estagiários. À noite soube-me pela vida estar com os meninos e comer o churrasquinho que estava delicioso. É por isso que adoro o Verão. Não há como o calor para poder churrascar lá fora, e os miudos poderem brincar, jogar à bola e andar de bicicleta à vontade, sem terem que estar sempre enfiados dentro de casa.

Habituaram-se muito bem à mudança de quarto. A Maria principalmente, pois assim que se fala que está na hora de ir para a cama, vai logo sem questionar muito, direita para a caminha dela. O João vai atrás, mas quando chega a hora de adormecer, ainda quer muita conversa, e ontem, já a irmã dormia há muito, e tive que ir buscá-lo para a nossa cama um pouco até adormecer, pois estava numa brincadeira pegada. Ele mais o Noddy, o Ruca e o Cacá, todos em amena cavaqueira na cama de grades!

Mais um dia e estamos novamente de fim de semana! E estes últimos têm sido bestiais. Temos aproveitado mesmo ao máximo os dias quentes, quer na praia, quer em casa, sempre com a companhia de bons amigos e claro da minha mãe, que tem vindo com alguma frequência. Não tanta como gostávamos mas vai dando para matar saudades. E os miudos adoram quando ela vem... Normalmente no dia da chegada, a Maria assim que chega ao infantário diz logo à educadora: "Sabes? Logo vem a Mimi!"
Depois vamos buscá-la ao autocarro e eu... faço de motorista, pois eles não prescindem da companhia dela no banco de trás! E ela... toda apertada lá vai no meio deles (ou das cadeirinhas), como se estivesse no mais espaçoso dos sofás... "Pelos meninos nada me custa"


01 julho 2008

Estreia...

O dia de hoje é para mim completamente novo...
Pela primeira vez, o papá levou os meninos à escolinha e eu...fiquei em casa! Claro que já foram mais vezes com o pai para o infantário, a diferença é que nos dias em que isso aconteceu, eu já tinha saído de casa antes deles, para ir trabalhar. Hoje não! Fiquei cá! Foi uma sensação um pouco estranha... Nada de anormal, mas senti-me assim um pouco... vazia...



Nota: Hoje foram com o papá porque a Maria ontem pediu muito que queria que o papá a levasse...


E 33...

...já cá cantam! Pois foi no sábado, e foi um dia muito bom... Sem stress, deu para tudo. Praia, almoçar fora (cheiinhos de areia...), compras e jantarada lá em casa com alguns amigos. O ambiente esteve do melhor e apesar do ligeiro atraso do jantar e de não me ter "enfrascado" como andei a prometer todo o dia, não me livrei de soltar algumas calinadas, que valeram valentes gargalhadas.

Os meninos, do melhor... Estão a crescer os meus meninos e já consigo passar uma noite sem que estejam sempre dependentes, quer de atenção, quer da comida... Começo agora a sentir uma certa liberdade, principalmente por parte do João, apesar de eu achar que ele continua a sofrer da patologia de "Mãezite Agudite".

No domingo, sem contar, acabámos por passar todo o dia na praia, mas só podia mesmo, pois o dia estava tão bom, tão delicioso, que até era um crime não aproveitar. É claro que fizémos a devida pausa das 12h às 16h, e nesta altura os meninos ainda tiveram tempo de aproveitar uma ida ao parque. Do melhor mesmo... Já tenho saudades e ainda só passaram 2 dias...

25 junho 2008

Dejá vu...

Sábado depois do almoço. Uma cadeira na entrada da cozinha da avó, e ela em cima, a fazer o seu espectáculo. "Senhoras e senhores, meninos e meninas, e claro, crianças! Com todos vós, a artista Ana Filipa (nome saido direitinho da cabeça dela) tem o prazer de apresentar o melhor espectáculo do mundo!"

E começa a cantilena... Sabe um montão delas de cor, e a cada uma associa uma coreografia. Meio moderna, meio clássica (influências das aulas de ballet? É para isto que o nosso dinheiro há-de servir?) ela lá vai conciliando as duas coisa, a canção e a dança do princípio ao fim. E nós... Os espectadores ali ficamos. Deliciados, babados, contentes e pró final entediados que a artista nunca mais se cala, e nós gostávamos mesmo era de ir para a praia. No final é este mesmo argumento o vencedor para que ela por fim termine a sua actuação, não sem antes ficar a promessa de que brevemente novos espectáculos virão, bem como o anuncio dos locais onde esses espectácuos irão decorrer. Nada é deixado ao acaso, e todas as informações são importantes...

E sentada naquele murinho, olho para ela e vejo-me ali, revejo-me nela, quando também tinha 4 anos. As cantigas, as anedotas, os fados, e as histórias que eu contava, também em cima de uma cadeira, tendo como microfone uma tampa de uma garrafa de cristal . Tal como ela também lá tinha a minha assistência. O meu pai, a minha mãe, a minha irmã, e nos dias de festa, tipo Natal, Páscoa, aniversários e afins, tinha também os avós, os tios e os primos que achavam muita piada à pequenita. E eu era feliz, ali com o meu público. Tal como a vejo a ela, ali com a sua audiência. É por me lembrar, por sentir esta alegria que paro tudo e fico ali, a olhar para ela, a admirar, e a bater palmas.

Mau...

Pois agora a onda é outra... Ontem à noite, o João tinha 38 graus de temperatura. Brufen, que deu para toda a noite e todo o dia. Foi à escola, esteve bem, comeu bem, dormiu melhor. À pouco, novamente com 38 graus. Brufen novamente... Vamos lá a ver o que por aí vem ou se é passageiro (assim espero).

Quanto à Maria, já começou hoje a esparvoar outra vez. Parece que enquanto fui dar uma aula, o pai teve que lhe dar uma (ou duas) palmadas no rabo para que ela entendesse que não se grita, não se responde mal, e não se bate nos mais novos que é como quem diz, no irmão... Passado esse episódio, acho que a coisa voltou à normalidade por nós esperada...

Agora dormem os dois que nem uns anjinhos e eu espero pelo meu amor, que teve que ir trabalhar, até não sei bem às quantas... Andamos por turnos hoje... ou está ele ou estou eu. Pode ser que ainda esteja acordada quando ele chegar! Mas já lhe sinto a falta. Tonta é o que sou.

Boa noite!

23 junho 2008

Mudanças...

Não sei que graça caíu por estas bandas, mas não quero que vá embora. Contrariamente ao que têm sido os últimos dias, este final de semana, decididamente soube a muito pouco. A razão? O comportamento dos meninos. Não que eu goste de crianças chatas, quietas, sem "vida", mas os meus filhos, portaram-se de forma exemplar, e acho que este foi caso raro em que não tive que andar sempre a chamar a atenção, a ralhar(aos gritos, que eu só consigo ralhar aos gritos, num descarregar de energia para não lhes acentar logo uma valente palmada...), e a pô-los de castigo. Aconteceu precisamente o contrário!

Foi um fim de semana em que brincámos, fomos à praia, divertimo-nos imenso os quatro, e tudo na maior harmonia... É claro que milagres não existem e momentos houve em que a tensão entre os irmãos ameaçava o fim do entendimento, mas bastava uma palavra nossa e eles logo entravam em acordo, cediam ambos das suas exigências e partilhavam o brinquedo pelo qual lutavam...

Não sei se se aperceberam do meu estado de nervos e da falta de paciência de que falei há uns dias atrás, ou se as conversas que tenho tido com Maria surtiram algum efeito, mas sei que gostei, adorei, amei! Por favor, não mudem!

20 junho 2008

Enfim...

O fim de semana está à porta...
Parece que vem lá chuva outra vez no Domingo. Antes disso, vamos rir, brincar, ao café de bicicleta, à praia, ao parque, aos avós (que pena não estares cá Mimi), aos amigos... Coisas boas que nos fazem esquecer o resto... Aquilo que não vale a pena!
Entretanto, hoje é mais um dia de silêncio...

19 junho 2008

Também eu...

...adoro andar descalça! Ralho, brigo, chamo a atenção, exijo que se calcem, mas eu sei como é bom andar descalços no verão!

18 junho 2008

Da paciência (ou da falta dela)...

Confesso que ultimamente ando sem pachorra, paciência para merda nenhuma (desculpem-me a expressão mas ando mesmo assim). Irrita-me a falta de sinceridade, a falta de tolerância, a falta de civismo, a falta de respeito,e todas as demais faltas de valores morais, decência e honestidade.

E depois os miudos! Ai porque não é o papá, mas é a mamã que dá a sopa, ai porque não é a mamã, é o papá que veste, ai porque agora não quero esta camisola, quero aquela, ai porque agora não quero umas calças, mas quero uma saia, ai porque não quero ir andar de bicicleta com o papá, mas agora choro porque afinal até tinha gostado de ir, ai porque não quero comer sopa, mas quero canja, ai porque não quero a carne, e só como o arroz, e de repente inevitavelmente sai-me ai porque daqui a pouco estás é a querer uma valente palmada nesse rabo!

E depois os azelhas que andam na estrada e pensam que temos que andar atrás deles a gramar os 30 Km horários que os senhores polícias querem obrigar a malta a andar nos perímetros urbanos. Devem pensar que a malta não tem catraios para ir levar ao infantário, à piscina, que não temos que ir ao supermercado, que não temos que ir ao talho, à lavandaria, que ir trabalhar, tudo, tudo assim com os minutos contadinhos...

E depois temos ainda aqueles que se metem à estrada precisamente no minuto exacto que estamos a chegar ao cruzamento, que em vez de se porem a andar depressa, ainda arrancam devagarinho e ficam a olhar pelo retrovisor, mesmo à espera que a malta lhe mande uma valente pancadona na traseira...

É por isto e por muito mais (que agora não me apetece mais referir) que me fez tão bem aquele bocadinho ontem... Obrigada
Rita!

16 junho 2008

Já agora...

...alguém conhece um remédio eficaz e indolor, para eliminar definitivamente moluscos contagiosos de piscina, sem ter que escarificar a pele da criança com uma agulha? É que o creme que o dermatologista recomendou não está a fazer muito efeito...
Muito, muito, muito obrigada!

Do fim de semana...

Por estes lados, o fim de semana foi bem quente, principalmente para a Maria, que passou os dias febril, a Ben-U-Ron e Brufen. Afinal o fim do dia de sexta feira não foi tão deliciosa como eu previra, e às 7 da tarde o termómetro confirmou as minhas suspeitas, após o relato do teu dia no infantário, pela educadora... Mas ainda assim, ainda amassámos as duas a base da pizza, que marchou todinha e ainda disses-te que estava "deliciosa". Vá lá que ao menos o apetite não diminuiu... Já o mesmo não aconteceu com o João que não comeu quase nada...
Por isso, o passeio a Viseu no sábado à tarde teve que ser adiado, não fosse o bebé apanhar uma virose também, ele que ainda é tão pequenino... Em alternativa e dada a boa disposição fomos até à praia ao fim da tarde. Como não pensei no belo dia que fez, nem que a época balnear já começou, lá fui eu de calcinha de ganga e a bela blusinha... Apropriado não? Nem imaginam o que me senti bem, assim completamente vestida ao lado das mangas cavadas, das alcinhas e dos biquinis mesmo assim ao lado. E pronto, uma vez que o papá tinha ido de calções, lá fiquei eu com o João na esplanada e eles os dois ainda foram brincar para o areal. Brincar e não só, pois sem eu me dar conta, ainda deu tempo para ir molhar os pézinhos ao mar... O ideal para quem está febril não?
E pronto eles cheios de areia e nós na esplanada que este meu filho, quanto menos areia melhor... Niquento como é, não suporta nem ver um grãozinho de areia em cima dele... Ainda no outro dia os levámos a um parque cujo chão era de areia. Como viu a irmã descalça, quis logo imitar, mas assim que pôs os pés no chão e sentiu a areia, pôs-se logo em pé coxinho, pois não conseguia levantar os dois pés ao mesmo tempo e já não brincou nada. Só ia ao baloiço ao colo do pai...Não sei não filho, mas cheira-me que vais ter que ter um tratamento de choque, pois no sábado ainda vá lá, que não ia com a indumentária apropriada, mas passar o verão inteiro contigo na esplanada.... Nananinaninana!
Depois a contrastar com o belo dia de sábado, eis que o S. Pedro nos brinda com um domingo "aguadinho"...Valeu-nos as visitas que foram almoçar connosco e nos fizeram companhia até bem perto das quatro...
A febre, a nossa outra visita, essa manteve-se até às 23 horas. O Brufen atacou e até hoje de manhã, nem pontinha dela, por isso... todos para o infantário!
As recomendações do costume à educadora: "Se houver outra vez febre, nada de xaropes e liguem-me para vir buscá-la que vai direitinha para o hospital...(4º dia de febre)"
Até agora nada... Continuo de alerta, mas para já estou a gostar...
Ó Febre!!! Adeusóvaitembora!!!

13 junho 2008

Para ti e para ti...

Hoje não. Hoje não vou trabalhar mais um bocadito.
Hoje posso ficar com vocês. Agora que acabei tudo o que tinha para fazer vou meter-me no carro, vou buscar-vos e vamos brincar.

Hoje o papá não vem jantar. Ficamos só nós na nossa casa!
Hoje vamos fazer pizza. Hoje não há sopa!

Vamos andar de bicicleta, vamos comer um gelado. Vamos ver desenhos animados.
E logo, antes de dormir, enquanto bebem o leite, já deitadinhos na cama, vou ler mais uma história, e depois cantar uma cantiga.

Hoje não há horas, amanhã é sabado. Hoje vocês são donos de mim!
Amo-vos!

12 junho 2008

Silêncio

Porque sim...

Porque não me apetece...

Porque não merece...

Porque não....

P.S. E agora com licença que vou ali descascar umas favas...

04 junho 2008

Minha musica, minha companhia

Esta musica dá-me genica! Por isso ela anda comigo no carro, para ouvir em alto e bom som (quando vou sozinha é claro!).

E mais bebés!

E a vida é assim mesmo, uns vão-se e outros chegam... No passado sábado, nasceu o Miguel! O pai está babadíssimo, os avós babadíssimos estão, ele é lindo, e a mãe... claro que está babadíssima também, mas hoje ao telefone não me pareceu lá muito bem... Coragem Sandra, que essa história dos pontos vai passar concerteza e daqui a uns diazitos, quando a rotina se instalar, tudo vai correr melhor. E nos entretantos já sabes, se precisares de alguma coisa... é só apitar!

Os meus vizinhos...

... estão a desaparecer. É verdade, não sei o que se passa mas no espaço de poucos meses, faleceram já três. Hoje de manhã, soube que o coração do Sr. Mário o tinha traído, e que nos tinha deixado. Conheci o Sr. Mário no Verão passado, pessoalmente, pois de ouvir falar já o conhecia há uns anos. Tinha emigrado para os Estados Unidos, clandestino, e por isso, passou cerca de 10 anos sem poder voltar a Portugal, para matar saudades do país e da família. O ano passado pôde finalmente regressar, pois já tinha conseguido a sua ambicionada legalização. Foram muitas as noites que nos encontrámos e convivemos. Era sem duvida uma pessoa alegre e muito bem disposta. Fartou-se de trabalhar na sua casa. Pintou, arranjou telhado, limpou jardim, arrancou arbustos que estavam a mais, substituiu portões, enfim... Tudo porque a partir de então, a casa iria voltar a ser usada todos os anos. Hoje fiquei chocada com a notícia que veio de longe, e a casa, que avisto da minha janela, e que me habituei a ver vazia, parece-me ainda mais vazia.

03 junho 2008

Aiaiai...

Ontem de regresso a casa, ela respondeu-me mal, nem me lembra já a respeito de quê. Sei que a repreendi pelo tom de voz, e pelo tipo de frase, e terminei o ralhete com um "Aiaiai!"
Ela, não satisfeita com o aiaiai e como tem que ter sempre a ultima palavra, devolve:
-"Aiaiai? Mas aiaiai de dor, ou o aiaiai de zangada?"

28 maio 2008

Nostalgia



...que saudades que eu tenho desta série e dos tempos que a acompanhava todos os dias na TVE. Deve ser o tempo que me deixa assim...

25 maio 2008

Bem Vindos

É bom saber que continua gente a nascer e gente que deseja que isso aconteça. Depois da semana passada ter sido marcada por um funeral ontem recebo a notícia de que o sobrinho neto da minha querida Dora nasceu. Bemvindo Gonçalo, e parabéns aos papás babados; Vasco e Jaqueline.

Também hoje conheci o Luis, filho de um grande grande amigo, daqueles que fizeram parte do meu crescimento, e do qual perdi o rumo durante algum tempo. Encontrei-o há uns meses atrás, acompanhado do seu novo amor, e do bebé na barriga dela. Gostei de te reencontrar Pedro, e ver que estás bem. Amanhã o Luis já faz um mês de vida, e achei piada como tu, Pedro, manuseavas o carrinho do bebé! Será que ele vai ser outro louco por carros, motas, aviões e velocidade como o pai?

Muitas felicidades para vocês meus amigos!

21 maio 2008

Parabéns Filipa


Para a minha sobrinha linda que hoje faz 2 aninhos. Muitos parabéns minha querida e que a vida te traga muitas alegrias, muitos sucessos e muita saúde! Tenho muita pena de que estejamos tão longe, mas sempre que possível estaremos todos juntos!

Muitos beijinhos e passa um dia muito feliz! Gostamos muito de ti!

20 maio 2008

Adeus querida

Foi mais que uma mãe, amiga, confidente, companheira, e porto de abrigo da minha melhor amiga, e tive a sorte de tê-la como minha amiga. Tinha sempre uma palavra de incentivo para dar, e ainda me lembro dos lanches que nos preparava, quando saíamos das aulas, no liceu. Preocupava-se com todos nós e quando ficava algum tempo sem aparecer lá em casa, perguntava logo se se passava alguma coisa comigo. Ainda me lembro da sua felicidade, do seu sorriso, quando fui apresentar-lhe a minha filha. Os anos passaram e trouxeram as maleitas próprias da idade. A ultima vez que a vi, há cerca de mês e meio, estava doente, achei-a muito frágil. Nem quis ir connosco comemorar o aniversário da "sua menina". Melhorou entretanto, disse-me a minha amiga, mas a semana passada, o destino levou-a de nós. Fiquei triste e teho a certeza de que irei sentir saudades dela, pois fez parte da minha adolescência, mas no fundo sei, que assim foi melhor, pois os tempos que se avizinhavam iriam trazer-lhe muito sofrimento. No sábado, fui despedir-me dela. Vou guardá-la para sempre na memória e no coração. Adeus querida Dora, até sempre.

Amo

O meu filho, adormece enquanto me acaricia a cara.

19 maio 2008

Galos e arranhadelas

Foi este o balanço do ultimo fim de semana.
Confesso que depois do sábado inteiro, practicamente sozinhos nem sei como a coisa não foi mais grave ou complicada.

Na sexta feira à noite, enquanto estava ao telefone, apercebia-me que os miudos andavam numa brincadeira louca e que o pai estava a perder as estribeiras. De repente só ouço um estrondo logo seguido do choro da praxe. O João tinha dado uma valente queda, e o pai, como tinha acabado de os repreender e avisar que se iam magoar, teve a imediata reacção de lhes dar mais um ralhete com direito a viagem apenas de ida, para a cama, "imediatamente". Resultado da queda: um galo do tamanho de um ovo de pato na cabeça, que só desapareceu hoje de manhã.

No sábado fui a um funeral a Lisboa, e deixei o resto da família em casa. Quando cheguei, perto das 7 da tarde, encontro uma casa quase virada do avesso, e uma galhofada no quarto de banho. O Ivo, passou todo o dia nas lides caseiras, ou seja, cortar a relva, aparar as ervas rentes aos muros, lavar os pátios, e acabar de fazer o almoço e dar aos meninos. A bem dizer a hora do almoço foi o unico momento que dedicou aos miudos, pois a partir daí, eles andaram practicamente à redea solta. A Maria deve ter trocado 553 vezes de roupa e o João deve tê-la imitado outras 553 vezes. Fizeram piqueniques no meio da cozinha (a mesa ainda estava lá posta), montes de desenhos todos colados com fita cola na porta do frigorífico, desmembraram uma placa inteira de esferovite, e eu sei lá mais o quê. Gostei particularmente da parte em que perguntei ao Ivo:
-Os meninos lancharam?
-Não. Não sei...
E a Maria responde:
-Lanchámos lanchámos. Eu comi dois iogurtes e o João comeu um.
-E quem te deu os iogurtes?
-Pus uma cadeira e cheguei ao frigorífico e ao armário das bolachas.
Lá o deixei dar-lhes banho, ajudei a vesti-los e depois fomos jantar.

No domingo, a Maria ao caminhar na rua, tropeçou numa pedra da calçada que estava fora de sítio e estatelou-se ao comprido.Resultado: um valente arranhão no joelho.
Passou o resto do dia de ontem e o dia todo de hoje, com a perna encolhida, e a coxear.Vamos lá a ver quantos dias mais vai durar esta lesão. É que esta semana é a semana das bicicletas lá no infantário, e a dela já seguiu para lá hoje de manhã, com o respectivo capacete.

16 maio 2008

Amo-te ainda mais...

... quando te ligo, em cima da hora de ir buscar os miúdos ao infantário e ainda não vieste trocar o carro (...as cadeirinhas...), e me respondes:
-Ah! Já vou, estou aqui com o Arménio!

E eu, que o único Arménio que conheço é
este...

14 maio 2008

12 maio 2008

Para repetir...

... foi o sentimento deste ultimo fim de semana tão agradável!



No sábado fomos com uns amigos dar um passeio à Lixa. Serviu de passeio para os "senhores" irem abastecer a adega aqui :) Depois de tal feito concretizado, seguiu-se o piquenique preparado em casa, onde nada faltou, muito pelo contrário. Depois do piquenique, com direito a sermão, e depois de tudo arrumado e limpo, seguimos até Amarante onde fomos comprar Foguetes aqui, à Confeitaria da Ponte, com uma vista maravilhosa sobre o Rio Tâmega.

Já de regresso, o dia terminou cá em casa pois as cestas ainda vinham carregadas e não podiamos deixar estragar nada!

Os meninos estavam eufóricos e a Maria, quando se foi deitar, despediu-se de todos com um "Boa noite a todos, e até amanhã", e foi ao ouvido do pai e disse-lhe baixinho:
-Papá... Família...

Foi sem dúvida um dia muito agradável, que havíamos de repetir todos mais vezes.

08 maio 2008

A nossa cantora

Durante algum tempo andou baralhada, mas finalmente já consegue cantar o refrão da musica!
À maneira dela é claro, mas não falha uma palavra.
E eu claro fico toda orgulhosa.



Alguém me explica?

Outra coisa que não entendo é este anuncio...
Como é que um anuncio de malta que empurra e dá força à Selecção Portuguesa, passa o tempo a cantar em inglês? Será que mudámos de lingua oficial e eu ainda não dei por nada?

Peregrinos

Todos os anos por esta altura, na zona onde moro, passam milhares de pessoas em peregrinação, a caminho de Fátima. Quanto a isto, tudo bem, respeito todo e qualquer motivo que leva estas pessoas a encetar tamanha caminhada, mas... por favor, não coloquem as vossas vidas nem as dos outros em risco! Acho incrível, que as pessoas não se apercebam que vão a caminhar numa Estrada Nacional, com movimento de milhares de carros e camiões, e não paro de me surpreender, de cada vez que vejo grandes grupos a ocuparem quase metade da faixa de rodagem, por irem lado a lado na conversa, ou ao telemóvel, distraidíssimos, em vez de caminharem em fila, de modo a não irem para o meio da estrada! Isto sem falar, nas pessoas que havendo bermas ou passeios, insistem em caminhar na estrada mesmo! E os carros que se desviem se querem!!!

05 maio 2008

Dia da Mãe

Foi ontem! E os meus meninos, de manhã entregaram-me as prendinhas que tinham feito no infantário. As mais preciosas...
Uma moldura com a foto do JH e um postal feito por ele, e um postal e um desenho feito pela Maria, também numa moldura. Adorei!

Depois das prendas, dediquei também o dia à minha Mãe, que veio passar o fim de semana connosco. De manhã fomos tomar um cafezinho, com os meninos, e de tarde, o papá fez o favor de tomar conta deles, que se divertiam no parque e nós duas, fomos fazer o que já não fazíamos há tanto tempo que nem me lembro quanto... Fomos às compras. Pena foi que não encontrámos "a prenda" para a minha mamã... Mas eu vou procurar!
Depois fomos levar a prendinha à outra avó, que também é mãe do meu amor!
Posted by Picasa

30 abril 2008

22 abril 2008

Os novos amigos

Não perde nenhum episódio, todas as manhãs, enquanto bebe o leite, logo depois de acordar, e gosta tanto deles que ultimamente têm-nos acompanhado para todo o lado pelo menos na imaginação dela, de tal forma que já a ouvi dizer:
-"Não feches a porta que o Spartacus ainda não entrou..." ou à porta da piscina:
-"Agora tens que fazer tudo tal como o professor ensinar..."
Apresento-vos então o
Spartacus, e a Stephanie vindos directamente de Lazy Town.

Isto para mim é novidade! Será normal ter amigos imaginários nesta idade, e com esta intensidade? É que é capaz de passar uma tarde inteira a "brincar" com "eles".

21 abril 2008

Obra Prima


Ontem o nosso João brindou-nos com esta obra prima, ao longo de TODA uma parede na nossa sala... Ficou bonito...:{
Posted by Picasa

Cá em casa - parte II...


O pessegueiro já deu frutos...

... o limoeiro está carregado e já apanhámos montes de limões para nós e para dar...

... as tangerinas também abundam...

... e a minha orquídea interior está toda a florir!

É assim a vida no campo ;)
Posted by Picasa

Cá em casa


A roseira, que já tinha sido dada como defunta, aí está em força a desabrochar....



... e a romãnzeira, que linda está também...


...graças às ultimas chuvas, bastante chatas para nós e para os miúdos, fazem um bem emorme às alfaces e aos tomates. Linda a nossa hortinha... e que bem que vai saber ir ao quintal e fazer uma salada logo de seguida...


...o castanheiro, foi outro que tal, que já tinha sido considerado defunto e só não foi arrancado por um bocadinho. Este fim de semana, para grande espanto nosso e alegria também, demos com estes rebentinhos...
Posted by Picasa

17 abril 2008

Ameaças...

Não sei o que anda por aqui a rondar, mas quero acreditar que já passou e vai ficar assim mesmo. Ma terça feira passada, a educadora da Maria liga-me às 2 e meia da tarde, a pedir para ir buscá-la que tinha acordado da sesta cheia de dores de barriga e com 37,5 graus. Lá fui, aproveitei a viagem e trouxe logo o João e quando chegámos a casa deitou-se no sofá e assim ficou a ver o "Panda" até às 6 da tarde... A partir dessa hora, renasceu uma nova Maria e até se deitar, genica não lhe faltou, jantou muito bem, e fez uma passagem de modelos com o irmão:)

Ontem, meio dia, liga-me a educadora do João, que o menino não estava nada bem, tinha vomitado a sopa toda, não quis comer mais nada, e só chorava e chamava pela mãe. Era melhor ir buscá-lo. Assim fiz... Veio muito murchinho, não queria sair do meu colo, mas passdo pouco tempo, acabou por ainda comer um pouco de peixe do nosso almoço, meia maçã, dormiu uma bela sesta, e depois de acordar comeu quase dois iogurtes. Á noite, idem aspas, o jantar foi às mil maravilhas...

Hoje de manhã levei-o à bendita vacina contra a Hepatite A. Vamos a ver o que o resto do dia vai trazer. A educadora já ficou de sobreaviso...

Dos incêndios outra vez... e da força de pessoas tão especiais...

No domingo passado não queria acreditar o que o ecrã da televisão mostrava... quatro meses depois da grande tragédia de Pedrógão Grande, P...