20 setembro 2010

Balanço...

No início da segunda semana de aulas, deste novo ano lectivo, parece que as coisas estão a entrar na rotina e, o novo passa a algo já conhecido, se bem que ainda não completamente ambientados.
As semanas que antecederam o regresso à escola foram uma autêntica sucessão de sentimentos, duvidas, medos, incertezas, pois que o regresso deles não iria ser um regresso, mas sim um ingresso de ambos numa nova escola. Bem mais perto de casa, é certo, mas tão diferente da que era a segunda casa deles, desde há 4 anos atrás. E admito que o turbilhão de sensações e sentimentos, era mais da minha parte que da deles... Será que tomámos a decisão certa, será que foi a escolha mais acertada? Sinto ainda que não consegui a resposta a estas perguntas, mas são tantos factores a pesar na decisão... Enfim, cabeça erguida que tudo há-de correr bem!

Ele adaptou-se lindamente. Andava super ansioso para conhecer os novos amigos, e as deslocações que tem que fazer agora, para o ATL, para almoçar e, para o prolongamento não parecem atrapalhá-lo em nada, chegando a dizer até que gosta mais desta escola do que a antiga! Se bem que hoje custou-lhe um pouco a largar a minha mão... Será que as novidades já não o deslumbram e está a começar a sentir a mudança? Quero acreditar que não e que a reacção de hoje, seja a consequência de um fim de semana "colado" a mim.

Ela...a mudança é muito grande! Uma nova escola, sem conhecer nenhum dos outros meninos, numa sala onde fica sempre sentada no mesmo sítio... aceitou, mas é diferente... Na reunião de pais logo no primeiro dia, sentámo-nos as duas numa "carteira" e aí ficou depois de eu sair, e no dia seguinte também. Até que o professor achou que estaria melhor noutro sítio. Chorou, disse que não queria e veio para casa completamente desgostosa. Que lhe lembrava eu, aquele sítio onde a deixei, e agora no novo sítio, não me conseguia ver lá. Que fosse pedir ao professor para a deixar voltar ao lugar inicial. E a angústia de que no dia seguinte, não era eu a levá-la à escola. Foi a avó. Explicou e o professor conversou com ela. Acalmou-a e quando voltámos a falar à noite disse-me: "Já não me importo de ficar naquele sítio, mas amanhã...sentas-te lá um bocadinho para eu me poder lembrar de ti outra vez... naquele sítio, ao pé de mim." E na sexta feira quando o pai a foi também buscar, fez-lhe o mesmo pedido. "Senta-te aqui papá, só um bocadinho".

2 comentários:

SOL A VISTA disse...

Vai tudo correr bem... acredita e tens razão as dúvidas, os preconceitos as incertezas são mais nossas do que deles :)
Cá estarei para ajudar no que for preciso. Beijos para todos.

Carla disse...

A Maria é tão querida..... parece tão adulta a dizer estas coisas! Tens uns filhos lindos! Bjs. Carla