02 março 2020

Janeiro em Tanger

O regresso à rotina da escola e trabalho custa sempre, sobretudo depois de dias tão bons em Portugal com amigos e familia, os nossos sitios, com os nossos costumes... é sempre custoso mas depois de passarmos o Estreito o chip muda e entramos na realidade Tangerina.

Foi um mês espectacular cheio de bons reencontros e festas, ou não fosse o mês dos aniversarios ca de casa.

Mas as festividades não começaram com os aniversarios ca de casa, mas sim com a grande festa dos 50 anos dos nossos amigo Jean François! Foi uma noite muito agradavel em que estava a equipa da fabrica da Renault em peso! Muitas agradaveis conversas, muito champanhe e muita dança!!! O momento mais divertido da noite... o discurso do Jean François! Conclusão da noite... os portugueses nunca estão atentos eheheheh Eu e a Alex riamo-nos a bandeiras despregadas enquanto ia-mos comendo Gallete du Rois e ouvindo o discurso.



O Jean François e a sua linda familia no momento do discurso 

No dia seguinte foi o aniversario dos Homens da casa! O João não quis uma grande festa e só convidou  dois amigos para que fossem passar o dia e dormir! Jantamos juntos e depois mais à noite abrimos o bolo de aniversario!




O grande evento do mês foi sem duvida a festa de aniversario da Maria! O Ivo aproveitou este dia para ir jantar com os seus amigos Tarik e Pablo e eu fiquei com os teenagers! 
Todos adoraram a festa, a decoração, as luzes e divertiram-se imenso. Eu deixei-os à vontade para que não sentissem que eu estava ali tipo policia a controlar, mas de vez em quando iam-me buscar ao quarto ou à cozinha e punham-me no meio deles a dançar! Uns queridos todos!





No dia a seguir à festa para recuperar e ganhar energias para a semana fomos vero mar e apanhar sol. O melhor sitio só podia ser o Hotel Le Mirage.

O João não nos quis acompanhar então fomos só os tres! Uma delicia de vista e de luz!











13 janeiro 2020

O Regresso a Tanger e a Noite de Reis

Depois das Festas passadas, no dia 5 de Janeiro fizémo-nos à estrada para regressar a Tanger, mas desta vez, tal como ja tinhamos feito em 2012, passamos a noite de Reis em Marismillas, com os nossos amigos Mari e José Manuel e os seus meninos, e fomos ver as "Cabalgatas de los Reyes".

Foi muito bom poder rever os nossos amigos e os miudos assim que chegamos, ainda não tinhamos estacionado o carro, ja tinham ido todos apanhar os brindes que são atirados pelos "Reis" que vão nos carros enfeitados.

Pela noite fomos ver o desfile na cidade de Lebrija, tal como em 2012. Antes do Desfile passar, os adultos demos um passeio a pé pelo centro da cidade, enquanto os miudos esperaram pelas Cabalgatas na Praça Principal!

Achei o desfile deste ano mais animado que o de 2012, e tinham uma banda a tocar que era espectacular! Punha toda a gente a dançar!
Enquanto decorria o desfile eu e a Mari fomos tentar reservar uma mesa num restaurante para podermos jantar, pois como éramos 10, não era facil de encontrar, tal era a quantidade de gente que havia a ver o desfile, mas para surpresa da minha amiga Mari, o empregado que veio para nos atender tinha sido colega dela e do marido no liceu! Foi um momento engraçado e ficamos descansados porque ele disse-lhe que não se preocupasse que a mesa estava garantida! E no fim de terem terminado as Cabalgatas la fomos jantar! Ainda bem que reservamos pois o restaurante encheu-se de uma maneira incrivel.

No dia seguinte foi a surpresa da abertura dos presentes que os Reis tinham deixado! Sentamos-nos todos na sala e um a um fomos abrindo um presente de cada vez!! Foi divertido! E no fim dos presentes... o pequeno almoço que os miudos ja se queixavam!

Depois demos uma volta pela aldeia e voltamos a casa para preparar  o almoço! Aqui foi a desgraça! O menu eram Migas e o Ivo pôs-se aos comandos da preparação, orientado pelo nosso amigo José Manuel. E a preparação durou quase 2 horas, e durante este tempo, o José Manuel tratou de se certificar que o Ivo não desidratava e estava sempre a encher-lhe o copo de cerveja e trazer-lhe aperitivos!

Quando ficou tudo pronto fomos almoçar. Estavam também a mãe, a irmã e o irmão e a sua familia, do José Manuel. As migas estavam optimas e o José Manuel e o Ivo regaram-nas muito bem também com Manzanilla!
Estavam os dois muito divertidos e eu so lembrava ao Ivo que ainda tinhamos duas horas de estrada e um barco para apanhar, ao que ele me respondia a rir:
- Tu não te preocupes, que se não apanharmos o barco das sete, ainda temos outro às nove! Mas eu não quero ir no das nove, por isso... se perdermos os das sete, voltamos para ca e vamos amanhã de manhã! 
Era a risada geral! Conclusão la saimos eram quatro e meia e eu a conduzir ehehehehe
No caminho ele dizia:
- Gosto mesmo deste sitio, olha estes campos, olha este verde!!! João olha este verde!! Parece o campo do Sporting!! Guida para que eu quero tirar umas fotografias!
Os miudos estavam perdidos de riso!

Entretanto às seis e meia chegamos a Tarifa e voltamos a encontrar-nos com o nosso amigo Isaías que também tinha acabado de chegar ao Porto. Foi engraçado pois viajamos juntos ao ir para Portugal e voltavamos a viajar juntos ao regressar a Tanger!

Estava também o João e a sua mulher e o filhos, outro português que vive em Tanger e que faz parte do grupo de futebol com quem o Ivo joga aos sabados à tarde.

Foi sem duvida um belo regresso à nossa casa de Tanger!








Descansa em Paz Paulo Gonçalves

Ontem foi um dia triste.
Ontem desapareceu um grande piloto e o Mundo do Motociclismo ficou mais pobre...

Descansa em paz Paulo Gonçalves.


Esta foi a mensagem que deixei no facebook:
E perante a tragédia que hoje atingiu o motociclismo portugues, esta foi a imagem que me ficou na cabeça... a revolta, a dor, a impotência e a incredibilidade do que tinha acabado de acontecer... segundo uma publicação desportiva este é o cunhado de Paulo Gonçalves, e espelha bem o sentimento que assolará a sua família... que Deus lhes dê força e coragem nesta hora. Até sempre Paulo Gonçalves... deixas uma marca bem grande... e que bonita a mensagem de Benavides:
«Vais continuar a acelerar no céu. Não tenho palavras para explicar a tristeza que sinto. Hoje, quando cheguei ao local do acidente, detive-me e parei ao lado do Toby [Price], já lá estavam os médicos e não me aproximei. Não percebi que eras tu o piloto que estava no chão, a uns dez metros de mim, pensei que era o teu companheiro de equipa, porque, ao sair de trás, perdi a ordem. Disseram-me para continuar. Cheguei ao abastecimento e outros pilotos revelaram que eras tu que estavas caído. Fiquei sem chão e ainda faltavam 70 quilómetros. Chorei cada quilómetro até ao final. Ganhei a etapa e dedico-ta, com muita dor. Ensinaste-me a seguir em frente, a sorrir à vida, tens a minha admiração como piloto e agradeço à vida ter-te posto no meu caminho, e poder partilhar momentos incríveis e inesquecíveis contigo»E perante a tragédia que hoje atingiu o motociclismo portugues, esta foi a imagem que me ficou na cabeça... a revolta, a dor, a impotência e a incredibilidade do que tinha acabado de acontecer... segundo uma publicação desportiva este é o cunhado de Paulo Gonçalves, e espelha bem o sentimento que assolará a sua família... que Deus lhes dê força e coragem nesta hora. Até sempre Paulo Gonçalves... deixas uma marca bem grande... e que bonita a mensagem de Benavides:
«Vais continuar a acelerar no céu. Não tenho palavras para explicar a tristeza que sinto. Hoje, quando cheguei ao local do acidente, detive-me e parei ao lado do Toby [Price], já lá estavam os médicos e não me aproximei. Não percebi que eras tu o piloto que estava no chão, a uns dez metros de mim, pensei que era o teu companheiro de equipa, porque, ao sair de trás, perdi a ordem. Disseram-me para continuar. Cheguei ao abastecimento e outros pilotos revelaram que eras tu que estavas caído. Fiquei sem chão e ainda faltavam 70 quilómetros. Chorei cada quilómetro até ao final. Ganhei a etapa e dedico-ta, com muita dor. Ensinaste-me a seguir em frente, a sorrir à vida, tens a minha admiração como piloto e agradeço à vida ter-te posto no meu caminho, e poder partilhar momentos incríveis e inesquecíveis contigo»

Ao longo do dia a minha amiga Andreia que conhece o Joaquim, o cunhado do Paulo Gonçalves enviou-me esta outra foto, onde  a dor esta também bem presente. Hoje foi um dia triste também para o meu amigo Rui, que vive também no Mundo do Motociclismo...



09 janeiro 2020

Fim de Ano

Este ano a noite da Passagem de Ano foi diferente de todas as ultimas passagens de ano. O nosso grupo de amigos resolveu desta vez ir passar o Reveillon no Hotel Afonso V em Aveiro. A nós não nos pareceu muito boa ideia por dois motivos: parecia-nos demasiado dinheiro para gastar numa noite e achamos que os miudos se iam aborrecer pois a maior parte dos filhos dos nossos amigos não iam ir, pois tinham as festas e coisas combinadas com os seus amigos. De maneira que decidimos ir os quatro passar a noite a Aveiro. Jantar por la e ver os concertos no Rossio e ver o Fogo de Artificio à meia noite.

Quando chegamos a Aveiro ainda nos fomos encontrar com os nossos queridos amigos Bé, Xana e Tomas. A Maria estava em Vila Franca das Naves em casa dos avós. Eu tinha muita vontade de ver especialmente e Xana e abraça-la pois ela tinha passado um susto muito grande antes do Natal, pois tinha sido apanhada numa cheia do Rio Vouga e tinha perdido o carro e para se salvar teve que sair a nado do carro e foram umas senhoras que a ajudaram a sair da agua. Foi uma aflição muito grande quando o Bé me telefonou muito triste a contar o que lhes tinha contecido e me dizia: 
- Eu ia ficando sem a Xana e os miudos assistiram ao drama todo. 
Para agravar a situação nesse mesmo dia o Bé tinha estado a salvar a casa de uma arvore que quase tombava para cima da casa e com a agravante de que um homem que o estava a ajudar tenha caído do andaime! Foi de facto um fim de ano muito dificil para eles e fiquei muito contente que entre as nossas coisas, a nossa viagem a Benavente e a viagem deles a Vila Franca das Naves nos pudéssemos ter encontrado na ultima noite do Ano para nos abraçarmos e tentar espantar as mas energias, para que o Novo Ano nos traga muitas coisas boas!!

Depois de nos despedirmos deles fomos jantar a um dos nossos restaurantes preferidos: O Rossio, onde somos sempre tão bem recebidos e acarinhados, e uma vez mais não ficamos desiludidos. Depois do jantar demos uma volta e acabamos por encontrar mais amigos de Macinhata e à meia noite parecia que estavamos a passar o ano no Clube Macinhatense, a abraçar e desejar Feliz Ano Novo aos nossos amigos eheheh

O fogo de artificio foi muito bonito, mas estavam umas temperaturas baixissimas e por volta da uma e meia da manhã voltamos para casa, porque o João tinha o dedo grande do pé congelado ehehehehehe

Foi muito divertido e muito bom termos iniciado o Ano assim em família!
Feliz 2020 a todos!!




Reencontros e turismo

Tal como no ano passado, estas férias de Natal fomos visitar madrinhas e afilhadas a Benavente :)
Fomos no sabado dia 28 de Dezembro e quando chegamos la ja estavam os alentejanos Verónica e Domingos, a Patricia e o Paulo e pouco depois de nós chegou a Carla e o Hugo. Todos nós com os respectivos gaiatos claro esta! Ao todo eramos 20 e foi uma alegria! Gostei especialmente de ver e estar com a Carla, pois ha 10 anos que não nos encontravamos em pessoa! Apenas falavamos por mensagem ou telefone! Foi muito bom!!!

Os miudos entenderam-se todos na perfeição e foi um dia fantastico! Depois à noite abrimos os presentes à roda da lareira e da Arvore de Natal. Adorei!

No dia seguinte eramos os mesmos, menos a Carla que tinham ido à terra do Hugo, perto de Abrantes.
No fim do dia a Verónica e o Domingos também regressaram a Cuba, pois tinham os dois que trabalhar na segunda feira. 
Nós dormimos mais uma noite em Benavente e na segunda feira resolvemos ir passear a Lisboa e ser turistas no nosso proprio país, pois estavamos tão perto que era uma pena não aproveitar para mostrar mais do nosso país aos meninos! Eles adoram estes passeios...

Começamos por visitar o Terreiro do Paço e depois subimos ao Castelo de S. Jorge! Almoçamos pelo caminho e quando chegamos ao Castelo estava uma fila enorme para comprar bilhetes e entrar...
Para nós foi uma surpresa! Ver uma fila tão grande e termos que comprar bilhete para visitar o Castelo... a ultima vez que o visitamos pelo ano 2001 mais ou menos era completamente gratuito! Mas valeu a pena! Pela vista, pela exposição permanente que adoramos e pela satisfação dos meninos!

Depois da visita demos mais uma volta a pé pelas ruas de Lisboa e como ja estava a escurecer pudémos apreciar a decoração e as luzes de Natal da Baixa  e voltamos ao Terreiro do Paço. Como estavamos em Lisboa não podiamos deixar de ir comer uns Pasteis de Belém, e antes de voltar para casa ainda demos a volta e visitamos Estoril e Cascais. Durante a volta fartamo-nos de rir porque nos lembramos de um fim de semana que passamos em Cascais, em Outubro de 2005 quando eu estava gravida do João e em que a Maria começou a caminhar agarrada à cama e às cadeiras do Hotel. E nisto pergunta o João:
- E eu? quando comecei a fazer isso? 
E foi um embaraço porque a verdade é que temos tão vivas as memórias destas etapas da Maria, e do João não... e ele sempre com as suas piadas:
- Não se lembram pois não? Va confessem que de mim não se lembram de nada!!! Quase nem fotografias tenho!!! 
O que vale é que ele leva este tema na boa mas não deixa de ser verdade... no segundo filho, as coisas vivem-se de outra maneira...

No fim deste passeio voltamos a casa e pelo caminho jantamos o belo do arroz de tomate no Manjar do Marquês!
Que dia tão bem passado em família!


















 
  







Natal!

E tal como no Ano passado celebramos o Natal em nossa casa!
A minha mãe e o Tó vieram passar o Natal connosco e na noite de 24 de Dezembro eramos 9 à mesa, pois vieram também os meus sogros e o meu cunhado! 
Depois de jantar estivémos todos a ver um filme e abrimos os presentes à meia noite! 
No dia 25 o meu querido sobrinho Hugo também se juntou a nós!

Adoro estes momentos em familia em casa e como ja vem sendo tradição o João la fez o seu jogo de xadrez com o avô!  

E que o ano que vem possamos todos juntos repetir este dia com a mesma saude e alegria!



A Viagem para Portugal

Desta vez foi um pouco complicado voltar a Portugal. 
Tinhamos pensado viajar na sexta feira à tarde, dia 20 de Dezembro, mas um temporal desgraçado fechou tanto o Porto de Tanger Ville como o Porto de Tanger Med que fica a cerca de 40 km de Tanger, a partir de quarta feira, dia 18 de Dezembro.
Durante estes dias andavamos sempre a ver se conseguiamos mais informações sobre o tempo, e qual era a previsão da reabertura dos Portos.
Do de Tanger Ville, diziam-nos que provavelmente só reabriria no domingo, dia 22 Dezembro mas não era certo. De Tanger Med no domingo era seguro que reabria.

Entretanto o nosso amigo Isaías insistia que no sabado ja reabria Tanger Med e que tinhamos que tentar cruzar o Estreito no sabado. Eu não estava muito convencida nem com vontade nenhuma de viajar através de Tanger Med...

Na sexta feira o Ivo lembrou-se de ligar ao João, outro amigo nosso que trabalha precisamente em Tanger MED, para perguntar se ele tinha alguma informação e quando é que ele estava a planear viajar. Ele entretanto ja tinha ido para Portugal na quarta feira, assim que ouviu dizer que iam a fechar os Portos. Fartamo-nos de rir porque ele a contar: 
- Eu estava numa reunião quando recebi a mensagem que o Porto ia fechar. Interrompi a reunião, disse que era uma emergência e liguei à Rita para preparar tudo para irmos para Portugal, que eu ja ia a caminho de casa para a ir buscar a ela e à Joana! E pirei-me na quarta!! 

Depois disse ao Ivo que ia tentar obter confirmação de quando abriria o Porto e ja nos dizia...
Enquanto isto o Ivo e o Isaías decidiam que mesmo sem a confirmação do João, no sabado de manhã íamos todos para Tanger Med e tentar apanhar o primeiro barco que houvesse. Passado um pouco o João liga a confirmar que em Tanger Med iam voltar a operar no sabado a partir das 13h30.

E no sabado de manhã la fomos todos para Tanger Med às 9 da manhã! Entretanto houve um episodio de mais um despiste do meu marido! Mas que poderia ter acontecido a qualquer um ehehehe
O Isaías ia à nossa frente e numa rotunda quase que o perdiamos mas la voltamos a ver o carro e la seguimos atras dele. Atras de nós vinha outro portugues, o Célio, que também viajava para Portugal. Nisto o carro do Isaías começa a abrandar e para à nossa frente. Eu pensei que talvez viesse ainda mais algum português e que íamos esperar. O Ivo sai do carro para ir perguntar ao Isaías e... não era o Isaías! Era um carro igual!!! ehehehehe 

Gargalhada do Ivo e gargalhada do senhor que estava no carro e percebeu o que se tinha passado! Nisto passa o Célio e começa-se a rir também porque percebeu! La seguimos depois caminho e um pouco mais à frente la reencontramos o Isaías!

Depois no Porto, foi a seca da espera... Chegamos la por volta das 10 da manhã e devíamos esperar que chegasse o barco de Algeciras, o que só aconteceu por volta das 14h00.
Para mim foi um acontecimento porque quando o barco entrou na barra do Porto comecei a ouvir comentar que estava tanto vento que o barco tinha sido trazido por dois barcos rebocadores, coisa que eu nunca tinha visto! Fomos todos ver as manobras de atracagem do barco e é mesmo impressionante e mete muito respeito!!

Entre o descarga e carga, sentamo-nos no barco eram 18h00 e o barco arrancou às 19h00. Eu estava com um certo receio da viagem pois davam ondas de 3 e 4 metros e ventos de 60 km/hora, mas o barco era tão grande que não se sentia nada. Enquanto esperavamos que o barco arrancasse ainda tivémos tempo para jantar no restaurante do barco pois ja tinhamos alguma fome e ja tinhamos comido o que tinhamos levado durante a espera...

No final a viagem correu lindamente, o barco não se mexeu nada, de tal forma que o João que enjoa imenso como eu, até me disse:
- Se os cruzeiros são assim eu ja não me importo de fazer um cruzeiro!

Chegamos a Algeciras às 20h35 e a casa às 4h10. Foi um pouco cansativo e um pouco antes de Coimbra peguei eu no carro que o Ivo estava completamente estourado e eu ja tinha dormido e descansado um pouco! 
E foi a nossa saga para chegar mas o importante à que chegamos e no domingo de manhã ja acordamos em casa!

Janeiro em Tanger

O regresso à rotina da escola e trabalho custa sempre, sobretudo depois de dias tão bons em Portugal com amigos e familia, os nossos sitio...